Logotipo Sulplast - Termoplástico, fibra de vidro e rotomoldagem

  Tel.: +55 (19) 3535-6550
  E-mail: sulplast@sulplast.com.br
  Av. Sulplast, 1969 - Distrito Industrial - Rio Claro/SP - 13505-680 - Webmail

Notícias

Comunicado de paralisação

publicado em 27/03/2020 às 07:27:00

Em combate à disseminação do novo coronavírus (covid-19), considerando as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e as determinações dos Governos Federal e Estadual, a partir de 28/03/20 iremos paralisar as atividades produtivas de nossa fábrica em Rio Claro – SP.

Entretanto, o atendimento aos nossos clientes, fornecedores, colaboradores e demais stakeholders permanecerá normal a partir de trabalho remoto das nossas áreas administrativas e dos nossos canais eletrônicos de comunicação.

Esta ação faz parte de uma série de medidas que tomamos para proteger nossos colaboradores, suas famílias e a sociedade brasileira como um todo.

Fazer uma pausa hoje, nos permite seguir em frente amanhã. Neste momento, diminuir o contato físico é abraçar uma causa comum a todos. Fique em casa, evite aglomerações e lave bem as mãos.

A previsão é que retomemos as nossas atividades produtivas a partir de 13/04/20.





Semana da Água na Sulplast

publicado em 17/03/2020 às 10:12:00

No dia 16/03 a Sulplast inicia a campanha “Menos Desperdício, Mais Compromisso”. Com diversas ações in company e por meio de mídias sociais, a Sulplast busca orientar seus colaboradores e a comunidade como um todo, a respeito da importância do consumo consciente de água.

De acordo com Cinthia Prado, Coordenadora de Qualidade e Meio Ambiente da Sulplast e idealizadora da campanha: “A ideia central é o exemplo. Além de apresentar as ações corporativas, buscamos conscientizar as pessoas mostrando o que alguns membros de nossa equipe já fazem todos os dias, em casa e no trabalho, para evitar o desperdício de água. Assim valorizamos a atitude sustentável e provamos que se cada um fizer a sua parte, somos capazes de transformar a realidade e contribuir para a democratização da água”.

Engajada nas atividades da Semana da Água – que começam no dia 16/03 e terminam no dia no Dia Internacional da Água, em 22/03 – a Técnica de Qualidade da Sulplast Isabel Rosa, elogia a atitude da empresa e a metodologia do projeto: “Este tipo de iniciativa, principalmente da forma como está sendo feita, mostra o comprometimento da companhia com o tripé da sustentabilidade e com a construção de um mundo melhor para as futuras gerações”.

Sempre com foco no desenvolvimento sustentável e no atendimento às legislações vigentes, além do trabalho permanente de conscientização, a Sulplast realiza captação de água da chuva e controle mensal do consumo de água, em conformidade com a norma ISO 14.001.







Sulplast celebra o Dia Internacional da Mulher

publicado em 09/03/2020 às 15:51:29

Para homenagear suas 21 colaboradoras pelo Dia Internacional da Mulher, a Sulplast promoveu hoje um evento para transmitir uma mensagem de estima e gratidão às mulheres que fazem parte da empresa. Durante a solenidade, além da entrega dos presentes, também foram apresentados vídeos e realizadas palestras sobre o empoderamento feminino e a importância histórica do Dia Internacional da Mulher.





Dez vantagens de ter um fornecedor certificado

publicado em 05/02/2020 às 10:40:52

Buscar a parceria de empresas certificadas traz diversos benefícios em relação a custos, operações, mercado e muitos outros aspectos. Sabendo disso, várias corporações renomadas optam por ter em sua cadeia de suprimentos, somente fornecedores que cumprem os requisitos de normas internacionais como ISO 9.001, ISO 14.001 e IATF 16.949.

Confira a lista com dez (das muitas) vantagens de se trabalhar com fornecedores certificados:

1 – Eficiência comprovada do Sistema de Gestão da Qualidade dos fornecedores, que dentre outros fatores, atesta a capacidade para gerenciamento e análise de riscos, monitoramento de desempenho, estabelecimento de controles produtivos e padronização de resultados;

2 – Possibilidade de atender às exigências legais e mercadológicas de variados segmentos industriais, em qualquer lugar do mundo;

3 – Redução expressiva dos custos de não qualidade;

4 – Alinhamento de toda a cadeia de fornecimento às diretrizes internacionais de preservação ao meio ambiente e a certeza de estar contribuindo para a construção de um futuro mais sustentável;

5 – Garantia de compromisso com a melhoria contínua de produtos e processos por parte do fornecedor;

6 – Aumento no índice de confiança do cliente final na marca e nos produtos da empresa;

7 – Rastreabilidade assegurada;

8 – Parceiros com capacidade técnica para reduzir custos ao mesmo tempo em que melhoram produtos e processos;

9 – Padronização dos documentos, procedimentos e tratativas junto à cadeia de suprimentos, em conformidade com ferramentas como 8D, APQP, Six Sigma e FMEA;

10 – Fortalecimento da imagem corporativa, mostrando real compromisso com o desenvolvimento sustentável, a qualidade dos produtos e, conseqüentemente, a satisfação dos clientes.

Embora sejam convergentes entre si e contemplem muitos tópicos em comum, as principais certificações internacionais abordam aspectos específicos do âmbito industrial. A ISO 14.001, por exemplo, trata da perspectiva ambiental, enquanto a ISO 9.001 se refere à gestão da qualidade. Desta forma, companhias em estágio inicial de adequação às normativas e que não tenham uma relação extensa de certificados, podem não conseguir entregar todos os benefícios enumerados, pois talvez ainda não tenham estruturado e submetido a uma avaliação criteriosa, um sistema que considere um ou outro fator específico da lista. Mas organizações como a Sulplast, que há muitos anos mantém um portfólio robusto de certificações como atestado de excelência, podem garantir estas e muitas outras vantagens competitivas aos parceiros comerciais.

Atualmente, contamos com as certificações ISO 9.001:2015, ISO 14.001:2015, IATF 16.949:2016 e VDA 6.3. Para saber mais sobre estas normas e conhecer também as premiações que conquistamos, acesse a aba “Certificações e prêmios” aqui do site.





História do plástico

publicado em 28/01/2020 às 18:35:03

Passar um dia inteiro sem utilizar algum item plástico é uma tarefa quase impossível. Presente nos celulares, carros, computadores, utensílios de cozinha, eletrodomésticos, artigos esportivos, equipamentos médicos e muitos outros produtos, este material é presença constante em nosso cotidiano. Mas apesar de tão disseminado nos dias atuais, sua história é um tanto recente.

A palavra “plástico” é derivada do termo grego “plastikós”, que significa “próprio para ser moldado”. Com base nesta definição, alguns pesquisadores consideram a resina de certas árvores e o marfim modelado a partir do século XVII, como “plásticos naturais”. Mas os polímeros sintéticos que hoje são utilizados para as mais diversas aplicações industriais, surgiram a partir dos esforços combinados e gradativos de diversos cientistas a partir do século XIX.

O marco inicial deste movimento pode ser estabelecido com a tecnologia de vulcanização da borracha, desenvolvida por volta de 1839 pelo norte-americano Charles Goodyear e patenteada em 1844 na França. No entanto, como no mesmo ano o britânico Thomas Hancock também patenteou um procedimento muito semelhante, só que na Inglaterra, há certa controvérsia a respeito do inventor deste processo.

Mais tarde, em 1855, o também britânico Alexander Parkes efetivou a patente do que muitos citam como primeiro polímero sintético: o parkesine. Também conhecido como xilonite, este composto à base de celulose, que podia ser moldado em várias formas, resultava da mistura de nitrocelulose e cânfora, na presença de álcool.

No entanto, apesar de sua importância histórica, em função de seus elevados custos de produção, o parkesine não obteve sucesso no mercado, diferentemente do método de plastificação do nitrato de celulose criado pelos irmãos Hyatt em 1870. Comercialmente conhecido como celluloid, este produto rapidamente passou a ser usado na fabricação de bolas de bilhar, bonecas, pentes, escovas de dente e muitos outros utensílios.

Mas um polímero essencialmente sintético foi sintetizado apenas em 1907, quando o químico belga Leo Hendrik Baekeland desenvolveu o bakelite, também conhecido como resina fenólica, muito empregada até hoje na fabricação de tintas, vernizes, aglomerados de madeira e peças técnicas industriais termofixas usadas em diversos tipos de máquinas como caminhões, colheitadeiras, tratores, etc.

Posteriormente, com a estruturação de um campo científico mais específico para os polímeros, na década de 1920, com os estudos do cientista alemão Hermann Staudinger, principalmente a respeito da possibilidade de cristalização da moléculas poliméricas, foi possível estabelecer as bases para o desenvolvimento de diversos materiais plásticos como o PVC (1927), PMMA (1936), Nylon 6,6 (1936), Teflon (1946), ABS (1948), PET (1954), Polipropileno (1957), Borracha Termoplástica (1965) e Nylon 4.6 (1987).

Atualmente, após mais de 100 anos de evolução, a indústria do plástico se tornou uma das mais importantes do mundo. Além disso, o consumo de plásticos é um dos principais indicativos de desenvolvimento econômico, por sua ligação direta com os setores de transportes, eletrônicos, agricultura, infraestrutura e construção.